Afastada do comando do PT, Giucélia reage contra Ricardo Coutinho: “coronel que atua de forma ostensiva e truculenta no nosso partido”

A presidente do Partido dos Trabalhadores (PT) em João Pessoa, Giucélia Figueiredo, reagiu contra a decisão da Executiva Nacional da legenda, que nesta quarta-feira (14) decidiu pela intervenção no comando municipal do PT, com a indicação de um interventor. De acordo com a dirigente, a decisão é ‘truculenta’, em retaliação à candidatura majoritária de Anísio Maia (PT), e em favor de aliança e apoio Ricardo Coutinho, candidato do PSB.

“A direção nacional está dando uma fatura a um cacique político chamado Ricardo Vieira Coutinho, que interfere de forma ostensiva, truculenta na democracia interna de nosso partido”, disse Giucélia Figueiredo em entrevista à Rádio Arapuan FM.

Segundo a dirigente, as atividades de campanha de Anísio Maia, inclusive, com a presença da militância, continuarão em João Pessoa.

“Não é uma intervenção violenta, absolutamente desnecessária, que vai tirar a candidatura de Anísio Maia das ruas de João Pessoa e a nossa militância. Queremos pedir a solidariedade e o apoio da população que se indigne, que se revolte contra essa truculenta intervenção, que tem por trás agente político, que tem discurso de esquerda, mas é um cacique, que se comporta como um coronel. O Partido dos Trabalhadores e a militância petista não vai se curvar a esses métodos de coronel da política paraibana”, disse.

E, Giucélia continuou: “Vamos resistir, vamos continuar a debater a cidade de João Pessoa, vamos enfrentar as candidaturas bolsonaristas com um diferencial, pois, somos até agora a única candidatura que se coloca contra Bolsonaro e seu desgoverno. Aquele que se coloca como candidato de esquerda, só faz apologia ao personalismo”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *