Alunos da Rede Municipal de Ensino são selecionados e ganham bolsas do CNPq

O projeto Robótica Educacional, que é desenvolvido nas escolas da rede Municipal de João Pessoa vem colhendo mais frutos. Alunos das escolas municipais Santos Dumont, José Novais, Professor Aníbal Moura, Duque de Caxias e Analice Caldas foram contemplados com bolsas de estudo na modalidade Iniciação Científica Júnior (ICJ) do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) para este ano de 2020.

Os alunos conquistaram as bolsas após terem os projetos aprovados durante a Mostra Nacional de Robótica (MNR), que foi realizada no ano passado no Estado do Rio Grande do Sul. Com isso, os alunos premiados recebem um valor mensal de R$ 100,00 durante um ano para incentivar a vocação científica. Além disso, já garante ao estudante a vaga para participar neste ano, no Rio Grande do Norte, da MNR e apresentar o resultado do seu projeto aprimorado.

A MNR é uma iniciativa que estimula e divulga a produção de trabalhos científicos e inovações tecnológicas e metodológicas que contribuem significativamente para o desenvolvimento de alunos e professores.

“Estamos muito felizes pelo compromisso que a Prefeitura de João Pessoa tem com a educação, pelo investimento e apoio aos projetos com a robótica que tem dado oportunidade aos alunos de se desenvolverem na área científica e tecnológica”, disse com alegria a coordenadora da Robótica Educacional da Sedec, Sineide Andrade.

Escola Municipal Santos Dumont

A unidade de ensino foi contemplada com dois projetos: ‘A arte do barro no cordel com robótica educacional’ e ‘Aprendendo com o Robô Tobby sobre alimentação saudável’.

Coordenado pelo professor Alexandre Soares Moura, o projeto do Robô Tobby foi desenvolvido pelos alunos da equipe Ciberobótica, Nilton Everson Nunes de Oliveira e Arthur Gustavo Lemos de Oliveira. Através do uso de placas educativas na sala de aula, distribuídas em forma de jogo, a equipe desenvolveu protótipos capazes de compreender os alimentos que devem compor uma dieta equilibrada, contribuindo, dessa forma, para a prática de uma vida mais saudável.

Já o projeto da ‘Arte do barro no cordel’, também desenvolvido pelos alunos da equipe Ciberobótica, teve como objetivo principal proporcionar o conhecimento da arte do barro, valorizando mais a cultura, a partir da criação de robôs que representam a obra de Mestre Vitalino, incluído o cordel enquanto expressão da literatura popular da região. Com isso, a equipe construiu os protótipos como o forno, que realiza atividade de cozimento das peças, o robô boi de barro e o robô Mestre Rabequeiro, que interagirá com os estudantes através da tecnologia bluetooth.

Escola Municipal Professor Anibal Moura

O projeto ‘Brincando e Calculando – trabalhando matemática através da Robótica’, de uma forma lúdica, conduz o aluno ao raciocínio matemático através das operações matemáticas mais básicas até as mais complexas. Essa forma se demonstrou muito eficiente ao ser muito atrativa aos alunos, além de eficaz no aprendizado, pois eles procuravam aprender as operações matemáticas para responder ao professor a resposta induzida pelo projeto montado.

Os alunos da Professor Anibal Moura também foram selecionados com o projeto ‘Robótica & Brasil na Segunda Guerra Mundial’. O projeto exige do aluno conhecimentos específicos da participação dos brasileiros na Segunda Guerra Mundial. Um robô acionado por sensores aponta uma maquete, que também é acionada da mesma forma, que remonta ao cenário de vilarejos bombardeados, e contém muitos episódios e perguntas descritos para o aluno, tanto descrever como responder.

“Importante ressaltar que todos esses projetos podem ser adaptados a outras disciplinas. Para o professor, não há nada mais gratificante ao presenciar seus alunos totalmente focados e dedicados em elaborar, pesquisar e executar tal intento de forma próximo ao profissionalismo. Ao observar seus alunos alçarem voos mais longos sabendo que você ajudou a plantar… essa semente é singular’, disse com orgulho o professor, Emmanuel da Silva Vicente.

Escola Municipal Duque de Caxias

Com o nome ‘Meu robô professor de história’, os alunos Eduardo Silva de Araújo, Cauã Tayrone, Geovane Ribeiro de Araújo, Victor Gabriel Coelho da Silva, Williams Mendes da Silva desenvolveram um protótipo capaz de reproduzir áudios sobre determinado conteúdo de história do Brasil. Eles utilizaram os recursos técnicos dos kits de Robótica presente na escola, além de materiais alternativos e deram vida ao robô que é dotado de sensores e caixinha de som capaz de reproduzir e responder questões da disciplina.

“Essa conquista representa mais um marco para nossa escola, que vem ano após ano alcançando ótimos resultados no quesito robótica educacional. Alcançando grandes patamares e levando o nome da nossa rede de ensino a diversos lugares. Nossa escola foi a primeira do município a ser bolsista CNPq, em 2013. Abrindo espaço para outras escolas da rede. E agora mais uma vez receber essa bolsa nos mostra o quanto crescemos e estamos no rumo certo da educação’, disse o professor que coordenou o projeto, Tiago dos Santos Araújo.

A unidade de ensino é bicampeã brasileira de robótica, os alunos participaram da RoboCup 2019 na Austrália ficando entre os 20 melhores do mundo e agora se preparam para disputar a RoboCup 2020 na França, no mês de junho.

Escola Municipal Analice Caldas

Os alunos Mirelly Geovana Alves Vieira e Kauã Vitor Dias Neves, orientados pela professora Ellen Jéssica Oliveira de Souza, desenvolveram o projeto ‘Emac: acessibilidade para o deficiente visual na coleta seletiva’.

Eles utilizaram um robô com a tecnologia Arduino, cujo cenário foi a cidade de Alagoa Grande-PB, que é a cidade do cantor Jackson do Pandeiro. No projeto, o deficiente visual, ao conhecer a cidade e passar pelas lixeiras de coleta seletiva, representada por cinco cores, ouvirá um tipo de som emitido pelo sensor, facilitando à pessoa com deficiência identificar a lixeira certa para o lixo que consumiu.

“Estamos muito felizes por temos conquistado uma vaga para a bolsa do CNPq. É um merecimento depois de muita pesquisa e trabalho para executar esse projeto representando a Escola Analice Caldas. Para nossos alunos, é uma ótima notícia além de os ajudarem financeiramente. São muito inteligentes e o valor é bom, além de ser um incentivo e eles saberem que são capazes de conseguir uma bolsa sendo alunos de escola pública’, agradeceu a professora.

Escola Municipal Dr. José Novais

Os alunos Jade Pontes da Silva, João Gabriel Domingos da Silva e Keuhanny de Souza Pereira desenvolveram o projeto ‘A batalha dos números’, que é um jogo que tem o objetivo de proporcionar a gameficação como ferramenta de inclusão no processo de ensino e aprendizagem da matemática com as operações básicas (adição, subtração, multiplicação e divisão). Assim como desenvolver o raciocínio lógico nos comandos da programação para obter resultados positivos, tornando a matemática atrativa e motivadora.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *