Após reunião com governadores, Bolsonaro desfaz acordo de Pazuello e diz que Brasil não comprará vacina contra Covid-19 da China

O presidente Bolsonaro se irritou com o anúncio do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, e do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), de que o governo federal vai comprar 46 milhões de doses da CoronaVac, vacina contra Covid-19 produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a empresa chinesa Sinovac.

Bolsonaro mandou um recado direto a ministros: “não compraremos vacina da China”. E reforçou que seu governo não mantém diálogo com Doria sobre Covid-19.

A insatisfação de Bolsonaro foi manifestada em mensagem do presidente a ministros, por celular. Hoje, ministros do núcleo duro do governo ficaram de se reunir para decidir o que fazer.

A avaliação de fontes da Esplanada é a de que Pazuello não tem “malícia política”, e deixou Doria – adversário de Bolsonaro- “capitalizar” o anúncio.

Segundo auxiliares do presidente, Bolsonaro desautorizou Pazuello. No entanto, perguntado pelo blog se o governo vai recuar da decisão da compra das vacinas, fontes do governo afirmam que o Planalto vai discutir o assunto.

O governo tem reforçado o discurso de que a vacina não será obrigatória – mas já teme o desfecho do tema no STF, já que a Corte deve decidir sobre o assunto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *