Bolsonaro demite Henrique Mandetta do Ministério da Saúde

do Ministério da Saúde. Quero agradecer a oportunidade que me foi dada, de ser gerente do nosso SUS, de pôr de pé o projeto de melhoria da saúde dos brasileiros e de planejar o enfrentamento da pandemia do coronavírus, o grande desafio que o nosso sistema de saúde está por enfrentar”, postou Mandetta.

O ex-ministro agradeceu à sua equipe de trabalho e desejou êxito ao seu sucessor. A demissão ocorre em meio à pandemia do novo Coronavírus e à divergências de pensamento entre Mandetta e o presidente Bolsonaro.

“Agradeço a toda a equipe que esteve comigo no MS e desejo êxito ao meu sucessor no cargo de ministro da Saúde. Rogo a Deus e a Nossa Senhora Aparecida que abençoem muito o nosso país”, completou.

Nesta tarde, Bolsonaro se reuniu com Mandetta no Palácio do Planalto. Nesta manhã, o mandatário recebeu Nelson Teich, oncologista cotado como possível substituto do ex-ministro.

Divergências

Bolsonaro e Mandetta divergiram diversas vezes sobre o isolamento social imposto para combater a disseminação do novo Coronavírus no país. Enquanto o presidente defende o “isolamento vertical’, somente para idosos, Mandetta é defensor do isolamento horizontal, como aplicado em todos os Estados até o momento.

Eles também discordaram sobre a cloroquina, remédio utilizado para tratar a malária e apontado por Bolsonaro como tratamento eficaz contra o coronavírus. No entanto, Mandetta alertou que não há estudos científicos que comprovam a eficácia do medicamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *