Em nota, João Gomes Ramalho Jr esclarece articulação do Diretório Estadual em destituí-lo da presidência municipal do DC

Após o presidente municipal do partido Democracia Cristã (DC) declarar apoio a Nilvan Ferreira no segundo turno das eleições de João Pessoa, o Diretório Estadual apresentou um novo nome e destituiu João Gomes Ramalho Junior do posto. Nesta quinta-feira (26), João Gomes Ramalho Junior emitiu uma nota expondo as articulações que resultaram em sua destituição da condição de presidente municipal.

Segundo João Gomes, na última terça-feira (24) ele foi surpreendido com a vinculação da notícia que Suenya Barbosa estaria assumindo a presidência do Diretório Municipal do DC. Junto com a notícia, também estaria sendo vinculado a foto da nova presidente ao lado do candidatos a prefeito de João Pessoa, Cícero Lucena.

“Essa arbitraria destituição de nossa pessoa como representante do Diretório Municipal de João Pessoa, se tratará de uma retaliação, por não concordarmos de nos afastarmos do que é melhor para João Pessoa, em troca de um punhado de benesses pessoais, em detrimento da coletividade pessoense”, escreveu em nota.

João ainda explicou que não teria sido notificado, previamente, acerca do procedimento, e não houve nenhuma dinâmica formal exigida para destituição. Com isso, não pode se posicionar contrariando, flagrantemente, o que determina o Estatuto do Democracia Cristã, no Art. 69, § 6º e 7º.

 

LEIA NOTA COMPLETA:

Neste último dia 24 do corrente mês o Presidente do Diretório Municipal de João Pessoa, João Gomes Ramalho Junior, foi surpreendido por notícia veiculada no portal por diversos portais de notícias, que havia sido destituído da condição de Presidente do Diretório Municipal do partido Democracia Cristã- DC, na referida nota figurava uma foto do Presidente Welington e a Senhora Suenya Barbosa, onde esta última, seria a nova representante do diretório Municipal, ladeados por um dos candidatos a prefeito de João Pessoa.
Ocorre que não recebemos nenhum tipo de notificação acerca de tal procedimento, nenhuma dinâmica formal exigida para citada Destituição fora adotada, a fim de que pudéssemos nos posicionar, contrariando flagrantemente o que determina o Estatuto do Democracia Cristã, precisamente em seu Art. 69, § 6º e 7º.

Com clareza Solar, resta evidente que a medida abrupta, manifestamente ilegal, adotada pelo Senhor Presidente Estadual do Democracia Cristã Welington teve a única intensão de atender seus interesses que vão na contramão dos anseios da sociedade Pessoense, e a um grupo que de a muito percebemos que tudo é valido quando está em jogo o poder pelo poder.

Essa arbitraria destituição de nossa pessoa como representante do Diretório Municipal de João Pessoa, se tratará de uma retaliação, por não concordarmos de nos afastarmos do que é melhor para João Pessoa, em troca de um punhado de benesses pessoais, em detrimento da coletividade pessoense.

Quando aceitamos o convite para presidir o Diretório do Democracia Cristã, tínhamos como norte colaborar com o desenvolvimento de nossa capital, de modo, que a adesão imposta pelo Diretório Estadual a um grupo que já prejudicou sobremaneira nossa Capital, não nos deu outra alternativa, que não a escolha de caminharmos em trilhas mais seguras para João Pessoa, que é apoiar o NOVO, apoiar NILVAN.

Vamos com o NOVO, vamos com NILVAM, o melhor para João Pessoa.

João Gomes Ramalho Junior

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *