INTERFERÊNCIA POLÍTICA: Documento da PGR confirma intenção de Bolsonaro de proteger família com troca de comando da Polícia Federal

A Procuradoria-Geral da República (PGR) informou que na fatídica reunião ministerial de 22 de abril, onde supostamente teve de tudo um pouco, desde ataques ao Supremo Tribunal Federal (STF) e aos governadores, houve a interferência política do presidente Jair Bolsonaro na Polícia Federal para “proteger seus familiares e amigos”.

Segundo informações do colunista do UOL Rubens Valente a reunião ministerial se trata do primeiro registro documental de que Bolsonaro teria tratado do assunto com Moro.

Ainda consta que o termo de declarações de Heleno foi assim redigido e assinado pelo ministro, por delegados e procuradores da República: Heleno foi “perguntado sobre uma fala do presidente [Bolsonaro] no vídeo da reunião do dia 22 de abril de 2020, exibido nesta data por ordem do STF, que, no entender da PGR [Procuradoria Geral da República] se refere ao superintendente do Rio de Janeiro, em que o presidente fala em proteger seus familiares e amigos, e perguntado quem são esses familiares e amigos, o depoente respondeu que precisaria assistir ao vídeo para poder responder”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *