MPF denuncia secretário de educação de Campina Grande e ex-secretários; PMCG aponta ‘confiança’ nos auxiliares

A procuradora da República Acácia Soares Suassuna, do Ministério Público Federal (MPF), denunciou à Justiça Federal, nessa terça-feira (21), servidores e ex-gestores da educação do município de  Campina Grande. Eles são investigados na Operação Famintos.

Dentre os denunciados está o atual secretário de educação do município, Rodolfo Gaudêncio. Ele também foi assessor jurídico da pasta.

Também foram denunciados o ex-secretário de administração Paulo Roberto Diniz, as ex-secretárias de educação Iolanda Barbosa e Verônica Bezerra, a ex-pregoeira Gabriella Coutinho, o ex-chefe de licitações Helder Giuseppe, a ex-diretora administrativa da educação Maria do Socorro Menezes de Melo, mais 10 servidores e 5 empresários.

Em nota, a Prefeitura de Campina Grande disse que “reitera a confiança nos agentes públicos que integram a gestão, em homenagem ao princípio constitucional da presunção de inocência”.

Confira a nota na íntegra:

‘NOTA OFICIAL

​​​​​
Diante da notícia de que o Ministério Público Federal, no âmbito da Operação Famintos, nesta terça-feira, 20, ofereceu denúncia contra agentes políticos e servidores do Município, a Prefeitura de Campina Grande vem a público prestar os seguintes esclarecimentos:

1)    O Município respeita o trabalho das instituições no tocante a toda e qualquer investigação que apure eventuais irregularidades administrativas, em qualquer esfera e a qualquer tempo, tanto assim que vem contribuindo plenamente, de forma irrestrita, desde o início da operação, com as apurações pertinentes.

2)    Contudo, reitera a confiança nos agentes públicos que integram a gestão, em homenagem ao princípio constitucional da presunção de inocência, devendo cada um apresentar defesa no devido tempo.

3)    Portanto, com a mesma serenidade e comedimento, a Prefeitura de Campina Grande, maior interessada no esclarecimento dos fatos, continuará a colaborar com os órgãos de investigação, na certeza de que prevalecerá a Justiça em sua plenitude.’

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *