VOTAÇÃO: Câmara de Campina Grande reprova projeto e mantém possibilidade de reeleição de presidente e eleição antecipada

Com a ausência de dois vereadores e abstenção de outros seis, a Câmara de Campina Grande conseguiu apenas 12 votos a favor da proibição de reeleição ao cargo de presidente e de realização da eleição antecipada. A votação ocorreu na sessão híbrida desta quinta-feira (10). Eram necessários 14 votos para aprovar a proibição.

Segundo dados, o projeto de lei em questão, em forma de emenda à Lei Orgânica do Município, foi elaborado pela vereadora Ivonete Ludgério e contou com a assinatura de 15 vereadores que eram a favor da mudança. A matéria vedava a reeleição do presidente eleito e toda a Mesa Diretora, além da eleição antecipada, dentro da mesma legislatura. Ou seja, os integrantes da Mesa Diretora eleitos para um biênio não poderiam concorrer nas eleições do biênio seguinte.

12 a favor, 6 abstenções e 2 ausências

Os vereadores João Dantas (PSD) e Teles Albuquerque (PSD) se ausentaram da sessão antes da votação. Os demais não listados estão de atestado médico, como Pimentel Filho (PSD) e Josimar Henrique (Republicanos). A autora do projeto, Ivonete Ludgério, por estar presidindo a sessão, ficou impedida de votar.

Votaram a favor ao projeto e pelo fim da reeleição os vereadores Aldo Cabral (PSD), Anderson Maia (PSB), Bruno Faustino (PTB), Galego do Leite (Podemos), Janduy Ferreira (PSD), Joia Germano (PSDB), Lucas Riberio (PP), Luciano Breno (PP), Olimpio Oliveira (PSL), Rodrigo Ramos (PSD), Renan Maracajá (Republicanos) e Rui da Ceasa (Pros).

Se abstiveram na votação os vereadores Alexandre do Sindicato (PSD), Márcio Melo (PSD), Marinaldo Cardoso (Republicanos), Sargento Neto (PSD), Saulo Germano (PSC) e Saulo Noronha (SD).

“Infelizmente nosso projeto não obteve os 14 votos necessários para sua aprovação. Tínhamos quórum suficiente, mas infelizmente alguns colegas se ausentaram da sessão e outros preferiram se abster na votação, permitindo assim que continue a prática de reeleição da Mesa Diretora na Câmara de Campina Grande e a eleição antecipada”, lamentou a presidente Ivonete Ludgério, lembrando que essa mudança é um anseio da sociedade e uma exigência constitucional.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *